Google+

Borealis on Sanabria

Sanabria em junho

Borealis on Sanabria

“E se a Borealis vai ao Lago

Eu vou junto.

Fiz contrato com a natureza

No último dia de primavera

Parto com a lua crescente

O capitão dá as boas vindas

Tem arte e gentileza

De bem receber.

Dei corda as botas

Aventura começa

Borealis_xpd02_SANABRIA_2016 (11)

Num túnel de árvores

E apresenta obras distintas da natureza

No seu estado de virgindade perpétua.

A luz do sol trespassa os ramos

E a sombra refresca os corpos

Ardentes e cansados.

O embalo da brisa, faz melodia

Numa sinfonia de pássaros

E os insectos dançam sem se cansarem

E não nos deixam sós.

Subo pedra sobre pedra na vertical

Um caos de blocos de rochas

E dou de caras com a Cascata de Soutillo

A água relaxa e dá força para continuar

Declives glaciares

Prados verdejantes e aromáticos

E grilos que cumprimentam

Ao nosso passar.

Mas não há trilhos sem destinos

Sem lendas, maldições e tragédias

A tragédia da barragem Vega de Tera

Corpos de silêncio. No fundo do Lago.

A lenda, do Lago da Sanabria

No fundo está e no fundo mora

Os sinos cantos e o generoso adora.

Borealis_xpd_SANABRIA_2016 (52)

O dia foi dureza e beleza

Fiz parte do caos das pedras

Da beleza artística da natureza pura

Enriquecido pelo equilíbrio humano

Com inteligência, bom senso e afecto.

Bom gosto, apresenta iguaria de sabor

Limão, framboesa e sementes de papoila

E dá sabor à imaginação.

E torno-me íntima do lago

Que gira à minha volta.

E gira de mão em mão a mascote

“Boreas” o ”Hino Borealis” e os pins

Lembrança para mais tarde recordar.

E para que nada se mova

Ato no coração

Paisagens de colecção.

Boreais aventureiros numa aprendizagem

Que acaba por humanizar.

E uma Lua Cheia acompanhar.”

JC.

Borealis_xpd_SANABRIA_2016 (59)

468 ad