Google+

Trekking no ‘Reino Maravilhoso’ de Trás-os-Montes

Douro

Caminhar na antiga linha do Corgo

O desafio foi lançado: caminhar em pleno coração do Douro Vinhateiro, pela antiga linha ferroviária do Corgo, com os socalcos como companheiros e desfrutar da beleza incomparável da paisagem envolvente.

Com este cenário em mente, as botas dos companheiros Borealis ansiavam por pisar solo duriense. O dia ameno e solarengo permitiu apreciar a Primavera em todo o seu esplendor, numa explosão de cores e aromas que invadiram os sentidos.

primavera no corgo

Percorrendo os serpenteantes caminhos do traçado da linha do Corgo, que fazia a ligação entre as cidades da Régua e de Chaves, desactivada em 2009 e sem qualquer vestígio dos seus carris, sentimos e contemplamos o que o escritor Miguel Torga tão perfeitamente descreve no seu “Diário XII”:

O Doiro sublimado. O prodígio de uma paisagem que deixa de o ser à força de se desmedir. Não é um panorama que os olhos contemplam: é um excesso da natureza. Socalcos que são passadas de homens titânicos a subir as encostas, volumes, cores e modulações que nenhum escultor, pintor ou músico podem traduzir, horizontes dilatados para além dos limiares plausíveis da visão. Um universo virginal, como se tivesse acabado de nascer, e já eterno pela harmonia, pela serenidade, pelo silêncio que nem o rio se atreve a quebrar, ora a sumir-se furtivo por detrás dos montes, ora pasmado lá no fundo a reflectir o seu próprio assombro. Um poema geológico. A beleza absoluta.”

vinhedos tradicionais corgo

Com as emoções à flor da pele e os sentidos despertos, exploramos os mais belos recantos da paisagem duriense para conhecermos a lenda do rio Douro, os segredos das tradicionais vindimas, a origem dos diversos tipos de vinho e o uso de determinadas expressões no nosso vocabulário do dia-a-dia.

Ao entardecer os sorrisos e as gargalhadas foram  temperadas com um delicioso lanche e regadas com um néctar da região!

Um brinde à boa vida Borealis!

Veja o reportagem vídeo da expedição da autoria de de Hélder Rebolo da Olhar Perfeito Studio:.

Partilhamos as emoções vividas por uma das companheiras deste dia que perdurará na nossa memória:

E Se…

E se há dias com final feliz

Ontem foi um deles.

Porque o amor que sinto

Leva-me a ter dias com finais felizes

E se não houvesse simbiose

Não haveria a ligação

Entre os Boreais e a Natureza.

Vive-se cada instante

Como quem tem todo o tempo do mundo

Um novo percurso pedestre

Numa linha fantasma

Sem traves, sem carris

Transformou-se uma linha de primavera

E marca a diferença de odores, cores e flores.

Mas em tempos que já lá vão

Era uma linha de movimento

De vaivém de mercadoria e de notícias

Sem falta de tempero, o essencial mineral.

Cultura de categoria humana.

Exploramos a mítica linha do Corgo

Onde os nomes das estações perduram

E não se apagam com o tempo.

Pé entre pé num cenário verdejante

Ao encontro do Rio Douro

Uma galeria de esculturas e lendas

Socalcos vinhateiros

Desníveis de olivais

E leva ao encontro de histórias

As rosas delicadas não deixam entrar as pragas.

E numa corrida de rios

O belo Douro adormecido

Por linhas tortas em contornos caprichosos

Chega ao mar ao mesmo tempo que o sol

Sobe ao pódio, tingindo o mar de ouro e emoção.

É dentro de uma natureza que me encontro

E ao longe avisto o fim da linha

Meia dúzia de traves entre paralelas de ferro

Era o fim de vinte quilómetros

O princípio de uma degustação de salgados e doces

Em pleno abraço com o Douro e a Masterchef

E o licoroso da Região Demarcada do Douro

A Borealis é absoluta.

De técnicos surpreendentes,

Apetece-me aplaudir, mas não há palmas

Num espetáculo que não tem fim.

E num cenário de despedida o co-piloto declama

Miguel Torga,” Um Reino Maravilhoso”

“Para cá do Marão, mandam os que cá estão”

O verdadeiro segredo de uma paixão.

Um espelho chamado Borealis

É UMA BOA FORMA DE VIDA!

JC.
468 ad